De outras eras

segunda-feira, 9 de abril de 2012.
De outras eras

Foram belo doirados anos,
Isento de qualquer preocupação
Corpo não fraquejava pós imensidão
Virtuoso era viver sem planos.

Aquela imagem empoeirada,
As rodas de cirandas cantadas
Alegremente, ouvia-se gargalhadas,
Vejo ali o reflexo de águas passadas

Ai, em outras eras. Eu nasci
Com infortuno destino em mãos,
Perfurei a artéria dum coração,
Em mil e um devaneios eu padeci.

Diálogos de vozes espectrais,
Rondam a imagem empoeirada,
Ouve-se versos e cousas passadas
Atormentando-me em meus umbrais.

Como espero ver o brilho da aurora,
Sorrir com ênfase para a criança
Ungida de vil e desgraçada esperança
Aquela que a morte conta as horas.

Saudades de minha casa tenho,
Não aquele punhado de concreto,
Mas daquele amor vil e incerto
Lembranças dali eu mantenho!

Em diálogos de vozes espectrais,
Ouço sussurrar em minha mente
Perturbando o corpo fraco e doente,
Adormecido em outras eras celestiais!

Comentários:

Postar um comentário

 
XW Mundo Sombrio © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |